MEC diz que ainda vai esclarecer dúvidas sobre o PNLD 2023

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

No início do mês, as associações brasileiras dos Autores de Livros Educativos (Abrale) e de Editores e Produtores de Conteúdo e Tecnologia Educacional (Abrelivros) enviaram uma carta ao ministro da Educação, Milton Ribeiro, registrando as suas preocupações com os caminhos do PNLD 2023. Segundo o documento revelado em primeira mão pelo PublishNews, o PNLD 2023 estaria “comprometido” por conta de problemas no edital que até então não haviam sido solucionados. Autores e editores alegavam ainda não haver mais tempo hábil para o cumprimento total do que é pedido no edital.

Agora, segundo o portal G1, as duas entidades disseram que o Ministério da Educação (MEC) reapareceu, após meses de silêncio, e afirmou que vai tirar dúvidas a respeito das obras que poderão ser usadas nas escolas em 2023. Na última terça (22), Abrelivros e Abrale tiveram uma reunião com representantes da Secretaria de Educação Básica, da Secretaria de Alfabetização (Sealf) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) que se comprometeram em flexibilizar as exigências do programa, tirando as dúvidas e ampliando os prazos de entrega.

O prazo original para as editoras entregarem os livros para o PNLD 2023 terminava em 5 de agosto deste ano e incluía um volume enorme de material. Na reunião, segundo a Abrale e a Abrelivros, ficou combinado que a data será prorrogada por 10 dias.

Ainda segundo o G1, houve um desmembramento dos objetos: primeiro, serão apresentados os livros principais dos professores e alunos e depois, em outubro, os demais itens – como conteúdos audiovisuais. No entanto, as editoras ainda esperam que o MEC esclareça dúvidas sobre o edital.