Matérias do novo ensino médio vão de fabricação de queijo a perícia criminal

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Produção de queijo artesanal e de detergente reciclável, moda, empreendedorismo, perícia criminal, RPG. O céu é o limite para a criatividade e a variedade de matérias optativas do currículo do novo ensino médio, a ser implementado por todas as escolas brasileiras a partir de 2022.

A mudança fará com que colégios tenham currículos muito variados e deverá tornar mais complexa a escolha de onde estudar. Há uma tendência de mais transferências de estudantes em busca de formação que atenda melhor a seus interesses.

Além da seleção das matérias eletivas, será necessário optar por uma área do conhecimento para se aprofundar, os chamados itinerários formativos —os principais são linguagens, matemática, ciências humanas, ciências naturais e ensino técnico e profissional.

O novo ensino medio – Algumas escolas particulares já começaram com o novo sistema. Na foto, aula de química em laboratório no Colégio Santa Maria O novo ensino medio – Algumas escolas particulares já começaram com o novo sistema. Na foto, aula de química em laboratório no Colégio Santa Maria

Algumas escolas particulares já começaram com o novo sistema do ensino médio; na foto, aula de química em laboratório no Colégio Santa Maria – Marlene Bergamo/Folhapress

O objetivo é que os jovens se dediquem a temas com os quais guardem maior afinidade e que tenham formação mais ampla e conectada com as exigências do mercado de trabalho.

Os modelos curriculares têm liberdade de serem montados não só em termos de arranjos de itinerários e da elaboração de eletivas, mas também dos nomes escolhidos para batizá-los.

Na rede pública paulista, por exemplo, entre os 11 currículos definidos pelo governo, há o itinerário #SeLigaNaMídia (área de linguagens), o #quem_divide_multiplica (combinado de ciências humanas com matemática), o Ciência em ação! (ciências da natureza) e o Start! A hora do desafio! (linguagens e matemática).

Cada escola terá que oferecer pelo menos dois itinerários e criar as suas eletivas. As matérias podem mudar semestralmente.

Não há como calcular, portanto, o número de opções em uma rede tão ampla como a de São Paulo, onde há 3.648 escolas estaduais com ensino médio.

“São inúmeras as matérias, e novas ideias surgem o tempo todo”, diz Bruna Waitman, coordenadora da Escola de Formação e Aperfeiçoamento dos Profissionais da Educação de São Paulo, na qual estão sendo ministrados cursos sobre itinerários e eletivas.

Waitman cita exemplos de disciplinas já debatidas na instituição: Como fazer detergente reciclável; Como despoluir um rio; Plantio de hortas; Criação de blogs e jornais; Cinema; Teatro; Astronomia e até CSI, inspirada na série de TV, sobre perícia e investigação criminal.

Estudantes entram em uma escola para fazerem a prova do Enem de 2021 Estudantes entram em uma escola para fazerem a prova do Enem de 2021

Estudantes chegam para o Enem em unidade da Unip, em SP; Enem e vestibulares também podem sofrer alterações nos próximos anos, em razão do novo ensino médio – Eduardo Anizelli – 21.nov.21/Folhapress

Diante da variedade de eletivas e do fato de que a maior parte das escolas não deverá oferecer todos os itinerários, os alunos da rede estadual, em geral matriculados nas unidades mais próximas de suas residências, poderão pedir transferência para uma outra que ofereça currículo de seu interesse. Se houver vaga, segundo a secretaria de educação, será transferido.

Além disso, conforme noticiou a Folha, o governo de São Paulo se prepara para permitir, provavelmente a partir de 2023, que um estudante esteja matriculado simultaneamente em duas escolas: em uma delas, cursa o currículo básico, comum a todos os alunos, em outra, o itinerário formativo ou uma eletiva.

Nos colégios particulares, a variedade curricular será ainda mais ampla porque eles não precisam seguir o modelo das secretarias de educação. Dessa forma, o novo ensino médio se torna um prato cheio na disputa por alunos.

É preciso, portanto, cautela para conferir se há um projeto pedagógico consistente e se o jovem será orientado nas escolhas, a fim de evitar que a salada curricular deixe-o perdido.

As escolas têm que usar bem o princípio de flexibilidade dos currículos. Não é qualquer matéria que pode entrar em um itinerário formativo, o currículo tem que fazer sentido

Ghisleine Trigo Silveira

presidente do Conselho Estadual de Educação de São Paulo

“As escolas têm que usar bem o princípio de flexibilidade dos currículos. Não é qualquer matéria que pode entrar em um itinerário formativo, o currículo tem que fazer sentido”, ressalta a pedagoga Ghisleine Trigo Silveira, presidente do Conselho Estadual de Educação de São Paulo.

A pedagoga lembra que o Enem e outros vestibulares deverão, nos próximos anos, oferecer provas específicas para cada um dos itinerários principais, e os estudantes devem estar capacitados para essas avaliações.

Ghisleine Trigo Silveira, presidente do Conselho Estadual de Educação de São Paulo, em seu escritório Ghisleine Trigo Silveira, presidente do Conselho Estadual de Educação de São Paulo, em seu escritório

Ghisleine Trigo Silveira, presidente do Conselho Estadual de Educação de São Paulo – Lalo de Almeida – 7.abr.16/Folhapress

Para quem pensa em fazer medicina, por exemplo, uma disciplina que tem tudo a ver é “Vírus? Bactérias? Alergias? A compreensão do sistema imunológico e as questões de saúde pública”, oferecida pelo Pentágono, que tem unidades em Perdizes e no Morumbi, em São Paulo, além de Alphaville.

O colégio, que implementou o novo ensino médio neste ano, tem outra matéria optativa ligada à saúde, “Mecanismos de Estresse e Ansiedade”. São, ao todo, 30 eletivas.

No colégio Santa Maria, no Jardim Taquaral (zona sul de São Paulo), há eletivas que foram desenvolvidas pelos próprios alunos, como um grupo feminista, o grêmio estudantil, o jornal da escola e um clube de leitura. “Foram eles que se organizaram para oferecer as atividades e as coordenar, o que desenvolve muito a autonomia”, diz Silvio Freire, diretor do ensino médio.

No cardápio de eletivas criadas pela escola, há, por exemplo, Jogos Vorazes, que, a partir da série fictícia homônima, discute o que é tido como crime e loucura nas sociedades e as diferentes estratégias de controle governamental.

Vista do pátio do colégio Dante Alighieri, em São Paulo Vista do pátio do colégio Dante Alighieri, em São Paulo

O colégio Dante Alighieri, em São Paulo, começou a oferecer as matérias eletivas em 2018 e atualmente possui 72 opções para os alunos – Sérgio Zacchi/Divulgação

No Dante Alighieri, nos Jardins (região oeste da capital paulista), as eletivas começaram a ser oferecidas em 2018. Atualmente são 72 opções, entre elas, psicologia, oceanografia, moda, cerâmica, política nacional, startups e produção de queijos.

Na última, por exemplo, o aluno aprende biologia, química e até história. A eletiva é oferecida em parceria com uma fábrica de laticínios, a Vitalatte.

O colégio tem um convênio também com a empresa de tecnologia IBM em uma eletiva sobre inteligência artificial. Há um fórum de debates em colaboração com a Universidade de São Paulo, e, em matérias ligadas a jornalismo, marketing e relações internacionais, com a ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing).

Na variedade de modelos, as escolas, ainda que tenham de submeter seus currículos às diretorias de ensino, possuem autonomia também para definir se os alunos podem escolher apenas um itinerário ou mais de um, além das regras para a troca de áreas.

O colégio Stocco, de Santo André (na Grande São Paulo), por exemplo, decidiu não seguir a proposta original dos itinerários formativos, de que o estudante se concentre em uma área com a qual tenha mais afinidade.

Os alunos farão dois itinerários diferentes por semestre, ou seja, irão se formar tendo cursado 12. Segundo a diretora, Jozimeire Stocco, “não dá para se concentrar em uma única área pois as turmas são bem pequenas”. “A escola optou por projetos interdisciplinares.”

Ensino médio brasileiro

O Band, no Paraíso (zona sul de SP), que já oferece eletivas, deve deixar a definição dos itinerários para o 2º ano.

“No 1º ano, os alunos terão momentos de ‘self study’, trabalhos autônomos orientados pelos professores, nas quatro grandes áreas [ciências naturais, ciências humanas, matemática e linguagens]”, diz a diretora pedagógica, Mayra Ivanoff.

“Entendemos que faz mais sentido olhar para os itinerários mais fortemente a partir do 2º ano”, diz. “E não vai ser uma retomada daquela divisão antiga entre exatas, humanas e biológicas, mas um processo em que o aluno vá experimentando até fazer a escolha.”

O Etapa, que permanece mais voltado à preparação para o vestibular, definiu seus itinerários exatamente como exatas, humanas e biológicas, além de medicina e internacional.

Nas eletivas, tem algumas opções menos direcionadas a conteúdos tradicionais, como clube da leitura, do cinema e da canção, mas incluiu na lista as olimpíadas do conhecimento, entre elas as de matemática, física, química e biologia.

NOVO ENSINO MÉDIO E MATÉRIAS ELETIVAS

O que é o novo ensino médio?

Uma lei de 2017 determinou que todas as escolas devem oferecer, a partir de 2022, o novo ensino médio. Entre as mudanças, está o aumento de carga horária, das atuais 800 horas por ano para 1.000, e um currículo que permita ao aluno optar entre áreas do conhecimento, por meio dos itinerários formativos. Devem ser oferecidas também matérias eletivas.

Quais são os itinerários formativos?

Das 3.000 horas dos três anos do ensino médio, 1.800 devem ser para as matérias básicas, comuns a todos os estudantes. As 1.200 restantes são para os itinerários. A lei sugere cinco principais: matemática, linguagens, ciências naturais, ciências humanas e ensino técnico/profissionalizante. Mas há flexibilidade para que as escolas criem outros.



EXEMPLOS DE ELETIVAS EM ESCOLAS DE SP

Bandeirantes

Doenças e alimentos pelo mundo
A origem do som
Do ateliê aos museus – fazendo e pensando arte
Violência e arte – a representação da sociedade brasileira na literatura e no cinema
Biotecnologia e suas aplicações

Dante Alighieri

Política nacional e internacional na atualidade
Voluntariado educativo: cidadania e responsabilidade social
Inteligência artificial
Sua ideia pode virar uma startup
Seleções esportivas (vôlei, basquete, futsal e handebol)

Etapa

Clube de Ciências
Orientação para estudo internacional
Empreendedorismo e finanças
Robótica
Role Playing Game (RPG)

Santa Maria

Atualidade e transformações
Comida é vida
Jogos Vorazes, compreendendo o controle estatal
Escolha profissional
Grêmio estudantil