Dan Stulbach: uma conversa sobre livros e leitura

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

A cerimônia virtual da 63ª edição do Prêmio Jabuti acontece logo mais, às 19h, com transmissão pelo YouTube da Câmara Brasileira do Livro (CBL) e quem estará no comando dessa festa será o ator Dan Stulbach.
Filho de poloneses, Dan teve os livros e a leitura presentes na sua vida desde criança e foi justamente essa bagagem literária que pautou boa parte que da conversa que ele teve com nossa equipe essa semana, para uma edição extra e especial do Podcast do PublishNews.

Com simpatia e bom-humor, Dan compartilhou passagens da sua infância, falou sobre seus livros favoritos, suas inspirações, relação com as livrarias e ainda sobre as peculiaridades da sua biblioteca pessoal.

Com uma jornada literária que começou cedo, Dan contou que em sua casa eles sempre estavam lendo alguma coisa e que o ato da leitura nunca foi uma obrigação. “Eu achava que lendo eu ficaria mais inteligente, não sei se funcionou”, brincou, “mas eu achava que tinha esse entendimento que de alguma maneira se você ler, você vai ficar mais inteligente”, confessou.

Hoje em dia, para muitas pessoas, ler se tornou algo mais difícil de se incluir na rotina, mas para Stulbach, o exemplo tem que vir desde cedo, dentro de casa. Ele acredita que a influência da leitura acontece naturalmente se as crianças se acostumarem com isso. “Ela acontece mais naturalmente, sem você fazer força. Se você está lendo, se as pessoas da sua casa estão lendo e seus filhos veem isso acontecer – como eu vi – isso os influencia naturalmente”, argumentou.

Definindo os livros como “o reduto da imaginação”, Dan confessou ser também um defensor do livro impresso. “Me acostumei. Trato os livros quase como amigos”.

Essa relação com os livros se estende também às livrarias físicas. “Se eu posso não comprar pela Amazon eu não compro”, garantiu, dizendo ainda visitar sempre suas livrarias favoritas. “As pessoas lá devem estar cansadas de mim, a gente se trata como amigos”, disse bem-humorado e acrescentou: “Eu compro livros para que elas continuem. É minha pequena parcela para que elas se mantenham como lugar de encontro, de troca de ideias”.

Ainda sobre a importância desses espaços que encontram diversas dificuldades pelo caminho, Dan acredita que as livrarias físicas deveriam ter um estímulo maior e alguma reação concreta frente à internet. “É importante que a gente mantenha esses espaços”, defendeu.

O legal de se ter uma biblioteca particular em casa, é que ela nunca será igual a de outra pessoa. A de Dan, por exemplo, carrega diversas peculiaridades. “Eu separo minha estante por lugares, amizades e por autores que eu ia achar legal caso se encontrassem. Se eu estou na dúvida, eu boto pelo mesmo país ou pelo mesmo tema ou impacto que tiveram em mim”, contou.

Dan confessou também que existe a possibilidade de ele próprio escrever uma obra, mas já deixou claro: “Eu não sei o que, nem quando”.

Na nossa conversa – permeada de indicações que valem a pena ser lidas e que estão reunidas no final dessa matéria – Dan contou histórias sobre seu avô, falou sobre suas influências, sobre os gêneros que não lê e os que está começando a ler e sobre a importância da leitura.

A conversa completa você confere tanto em áudio como em vídeo.

63º Prêmio Jabuti

Sucedendo a jornalista e apresentadora Maju Coutinho na apresentação do Jabuti, Dan adiantou que a cerimônia de mais tarde está redonda e pronta para acontecer.

Mais tarde, serão conhecidos os vencedores das 20 categorias e o ganhador do Livro do Ano. Para saber quem são os finalistas, clique aqui.

Indicações:

O pequeno Nicolau

As aventuras de Tintim

Brás, Bexiga e Barra Funda

Um cadáver ouve rádio

Robinson Crusoé, adaptação e tradução de Monteiro Lobato

Um estudo em vermelho, Arthur Conan Doyle

Manual de sobrevivência na selva

Para gostar de ler – coleção

As grandes aventuras – coleção da editora Abril – edição de Moby Dick.

O apanhador no campo de centeio

O baixo esplendor, Marçal Aquino

Trópico de Câncer, Henry Miller

Livraria Shakespeare and Co

Livraria McNally Jackson Books

Livraria da Vila

Livraria da Travessa

A visita cruel do tempo, de Jenifer Egan

A insustentável leveza do ser, Milan Kundera

Filme – Era uma vez na América

Filme – O Carteiro e o poeta

O estrangeiro, Alberto Camus

O encontro marcado, Fernando Sabino

O gênio do crime

Gay Talese

Truman Capote

O lobo da estepe, Hermann Hasse

Meu pai, Karl Ove Knausgaard

Desonra, J.M. Coetzee

Filme Hemingway, produzido por Ken Burns

Minha querida Sputnik, Haruki Murakami

Caçando carneiros, Haruki Murakami

Trapaça no Harlem, Colson Whitehead

Lula: Biografia, volume 1, Fernando Morais

Antônio Skármeta

Garota, Mulher, Outras, Bernardine Evaristo

Amores improváveis, Edney Silvestre

A trégua, Primo Levy