Nova plataforma promete levar experiência imersiva a jovens leitores

Tem texto, é digital, mas não é um e-book comum. Tem áudio, mas também não é um audiolivro. Pode até ter animação, mas também não é um vídeo. O que é então? É um nexbook. Nextale, app que mistura texto a efeitos visuais e sonoros para uma leitura digital dinâmica, busca parceria com editoras para realizar projetos adotáveis por escolas. 

Criado pela startup carioca Nextale, o novo formato quer mudar o jeito de ler livros pelo celular. Para dar a sensação de imersão no texto, os nexbooks chegam aos leitores com recursos de efeitos sonoros e visuais que prometem prender a atenção e ampliar a imaginação enquanto o leitor vai avançando na trama. O ritmo de leitura de cada um controla os efeitos, então, à medida em que o leitor avança, os efeitos acompanham a leitura.

Para o lançamento da plataforma, a Nextale colocou à venda dois títulos, ambos de Charles Perrault: Chapeuzinho Vermelho (R$ 4,99) e O Barba Azul (R$ 4,99) e ainda As fadas como degustação gratuita. "Começamos pelas histórias de Charles Perrault porque elas são um excelente exemplo de narrativa de ficção que os leitores já têm em seu imaginário. A ideia era resgatar o afeto por Chapeuzinho Vermelho para apresentar um produto completamente novo, e não-infantil, já que as versões originais de Perrault são bem diferentes daquelas que costumamos conhecer" explica Priscila Vaz, uma das sócias da Nextale e também pesquisadora na área de narrativas e contos de fadas.

O produto começou a ser desenvolvido no ano passado e teve o apoio de alguns programas de fomento à startups. No Rio, a empresa contou com o apoio do Startup Rio e o financiamento da FAPERJ para desenvolver sua primeira versão comercializável. A Nextale ainda foi acelerada pelo programa Inovativa Brasil, do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Agora, a empresa está em busca de editoras e parceiros para ampliar seu catálogo. “É fundamental compreender, que sendo um produto 100% digital, nossos livros são dinâmicos e evoluem a todo momento. Como usamos a lógica do content first, cada livro que fazemos é único, mas nossa tecnologia em desenvolvimento vai permitir que façamos a produção em massa" explica Rafael Santos, o outro sócio, responsável pelo desenvolvimento dos produtos.

O formato nexbook foi pensado para leitores a partir dos 11 anos de idade que já estejam maduros para leituras mais longas. A aposta da empresa é atender as demandas escolares de leitura, produzindo livros que já são hoje utilizados como paradidáticos, e ajudando a aumentar o interesse dos jovens pela leitura.

O catálogo em construção vai englobar diversos livros de domínio público, que ainda hoje movimentam muito a indústria do livro. "Estamos focando no público jovem, porque ele é mais propenso a aceitar com facilidade as novas tecnologias. Mas fazemos um produto que encanta e agrada públicos de 11 a 90 anos!", completa Priscila.

O app está disponível, no momento, somente para o sistema operacional Android. A empresa disponibiliza um vídeo-trailer de um de seus livros, para que o público possa entender melhor o produto.

 

 





banner escola democratica

relatorio 2014 2015 banner2

banner bienal2014 pequeno

b trajetoria



Pesquisa

Boletim Abrelivros

Digite os dados, abra o e-mail e confirme sua assinatura.

Abrelivros.org.br - Associação Brasileira de Editores de Livros Escolares
Rua Funchal, 263 - Conj. 62 - Vila Olímpia
CEP 04551-060 - São Paulo - SP - E-mail: contato@abrelivros.org.br