Presidente da Frente Parlamentar do Livro comenta os resultados da Retratos da Leitura

Nesta segunda-feira (14), o Instituto Pró-Livro (IPL), o Itaú Cultural e o Ibope Inteligência divulgaram ao grande público os resultados da Pesquisa Retratos da Leitura, estudo que mapeia os hábitos de leitura dos brasileiros e demonstrou que o país perdeu 4,6 milhões de leitores entre 2015 e 2019.

As primeiras conclusões da Retratos da Leitura fizeram eco em Brasília. O senador Jean Paul Prates (PT/RN), presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Livro, da Leitura e da Biblioteca, divulgou nota em que pede mais políticas públicas para a cultura.

O senador demonstra preocupação com o fechamento de livrarias. “A pesquisa demonstrou, mais uma vez, a importância das livrarias para o país para a construção de um público leitor”, observa Jean Paul, que é autor do projeto de lei (PL) 2.148/2020 que quer alterar a Política Nacional do Livro para estabelecer medidas de resgates da leitura e do mercado de livros, criando inclusive linhas de crédito específicas para o setor durante a calamidade pública da covid-19. O PublishNews escreveu sobre o PL que aguarda votação pelo Plenário do Senado.

Leia abaixo a íntegra da nota do parlamentar.

Por mais políticas públicas para a cultura

O Brasil perdeu 4,6 milhões de leitores entre 2015 e 2019, segundo a pesquisa Retratos da Leitura 2019 (5ª edição). A pesquisa é o maior medidor do hábito de leitura do brasileiro.

A pesquisa foi divulgada na noite desta segunda feira,14/09, pelo Ibope Inteligência e mostra o resultado das políticas públicas adotadas pelos presidentes Temer e Bolsonaro. É um verdadeiro desmonte das políticas de incentivo ao livro, da leitura e da manutenção e criação de bibliotecas no país.

A pesquisa revelou, por exemplo, o fechamento de diversas bibliotecas públicas e a ausência de incentivos às bibliotecas comunitárias ou de bairros.

Em relação à compra de livros, a pesquisa demonstrou, mais uma vez, a importância das livrarias para o país para a construção de um público leitor. Segundo a pesquisa, as livrarias físicas ainda são a principal fonte de aquisição (física e virtual) do livro no país.

Mas, infelizmente, neste período da pandemia, temos acompanhado o fechamento de muitas livrarias pelo país afora. Sem pontos de venda, o mercado editorial brasileiro enfrenta um grande desafio que se reflete nas vendas que caíram cerca de 45% no primeiro semestre deste ano.

Sem incentivos por parte do governo, temos visto muitos brasileiros promovendo iniciativas para tentar resgatar o setor como vaquinhas virtuais para manter as pequenas e médias livrarias que ainda resistem no seu bairro ou cidade.

No Senado, apresentamos o projeto (PL 2148/2020) de auxílio ao setor. Ele altera a Política Nacional do Livro para estabelecer medidas de resgate da leitura e do mercado de livros. A proposta cria linhas de crédito para o setor editorial e livreiro, durante a calamidade pública da Covid-19 e aguarda votação pelo Plenário do Senado.

Como Presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Livro, da Leitura e da Biblioteca, continuarei lutando por mais políticas públicas em defesa do livro e da leitura no país. Vamos lutar pela implementação da Política Nacional de Leitura e Escrita (Lei 13.696/2018); pelos planos municipais; por mais bibliotecas públicas; e por mais apoio às livrarias. Basta de retrocessos!

Senador Jean Paul Prates (PT-RN) - Presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Livro, da Leitura e da Biblioteca

 

2019.06_casaeducacao.jpg





banner escola democratica

relatorio 2014 2015 banner2

banner bienal2014 pequeno

b trajetoria



Pesquisa

Boletim Abrelivros

Digite os dados, abra o e-mail e confirme sua assinatura.

Abrelivros - Associação Brasileira de Editores e Produtores de Conteúdo e Tecnologia Educacional 
Rua Funchal, 263 - Conj. 62 - Vila Olímpia
CEP 04551-060 - São Paulo - SP - E-mail: contato@abrelivros.org.br

Midiamix Editora Digital desenvolveu esta publicação com Joomla